segunda-feira, 21 de julho de 2014

Zinco e 8 implicações no organismo humano

O Zinco é identificado como sendo um dos elementos minerais mais importantes no organismo humano num artigo de revisão "Comprehensive Reviews in Food Science and Food Safety", publicado pelo Institute of Food Technologists (IFT). O zinco não é apenas um elemento vital em vários processos fisiológicos é também um fármaco utilizado para prevenir muitas doenças.

O corpo adulto contém cerca de duas a três gramas de zinco. Este pode ser encontrado nos órgãos, tecidos, ossos, fluidos e células. Alimentos com alto teor de proteína, especialmente proteína animal, são a principal fonte de zinco na dieta humana. O zinco pode ser utilizado fortificado em outros alimentos. Quase metade da população mundial está em risco de ingestão inadequada de zinco. Este artigo reviu vários estudos  e estes mostraram a relação entre o zinco e vários processos fisiológicos vitais  no ser humano como os seguintes:

Cérebro: O teor de zinco no sangue é inferior em pacientes com a doença de Alzheimer e doença de Parkinson (Brewer e outros 2010) Num estudo envolvendo  roedores, observou-se o zinco que se comporta como um anti-depressivo (Nowak e outros, 2005).

Sistema Cardiovascular: O zinco desempenha um papel notável na regulação da pressão arterial. Machos e fêmeas metabolizam o zinco de forma diferente quando sofrem de hipertensão (Tubek, 2007).

Fígado: A deficiência de zinco no fígado, não ocorre somente naqueles com cirrose hepática, ocorre também na doença hepática alcoólica menos avançada e hepatite não alcoólica (Bode e outros, 1998).

Gravidez: Uma leve deficiência de zinco durante a gravidez pode causar aumento da morbidade materna, sensação de gosto anormal, gestação prolongada, problemas no parto, hemorragia atónica, e um aumento do risco para o feto (Jameson, 1993).

Diabetes: O zinco é muito importante na síntese, armazenamento e a secreção de insulina (Chausmer 1998). Um baixo nível de zinco tem mostrado desempenhar um papel importante em diabéticos com doença associada, tal como a doença da artéria coronária e diversos factores de risco relacionados, incluindo a hipertensão, e níveis elevados de triglicéridos (Singh e outros, 1998).

Sistema Endócrino: Estudos mostram uma correlação entre a deficiência de zinco em pacientes geriátricos e actividade reduzida da glândula timo e as suas hormonas, diminuição da resposta à vacinação, e redução da imunidade (Haase e Rink, 2009).

Cura: A deficiência de zinco tem sido associada com a cicatrização retardada, e foi mostrado ser crucial para a cicatrização de úlceras gástricas, especialmente em fase inicial (Kennan e Morris, 1993; Andrews e Gallagher-Allred, 1999; Watanabe, 1995).

Pneumonia: O zinco pode encurtar a duração da pneumonia grave e encurtar o internamento hospitalar (Brooks, 2004).

Fonte:
  1. Kuljeet Kaur, Rajiv Gupta, Shubhini A. Saraf, Shailendra K. Saraf. Zinc: The Metal of LifeComprehensive Reviews in Food Science and Food Safety, 2014; 13 (4): 358 DOI: 10.1111/1541-4337.12067

Fontes Alimentares de Zinco
 
Alimentos
Zinco (mg/100 g)
Ostras frescas
45,0 – 75,0
Amêijoas
21,0
Gérmen de trigo, farelo de trigo
13 - 16
Castanha do Brasil
7.0
Carnes
4,5 – 8,5
Queijo parmesão
4,0
Ervilhas secas
4,0
Avelãs
3,5
Gema de ovo
3,5
Amendoins
3,0
Sardinhas
3,0
Frango
2,85
Nozes
2,25
Pão de trigo
1,65
Grão de Bico
1,4
Gambas e camarões
1,15
Ovo inteiro
1,1
Leite
0,75
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Fonte: EUFIC 
 
Dose Diária Recomendada (DDR) em miligramas (mg)
IdadeHomensMulheresGravidezAleitamento
0-6 meses2 mg2 mg----
7-12 meses3 mg3 mg----
1-3 anos3 mg3 mg----
4-8 anos5 mg5 mg----
9-13 anos8 mg8 mg----
14-18 anos11 mg9 mg12 mg13 mg
>19 anos11 mg8 mg11 mg12 mg
Dietary Supplement Fact Sheet: Zinc. Office of Dietary Supplements. National Institutes of Health. Acedido a 21/07/2014