terça-feira, 22 de abril de 2014

Cancro colorectal e ingestão de carnes processadas

Estudos que relacionam a ingestão de carnes processadas e o cancro colorectal não são novos, faço referência a este estudo do Dr Jane Figeiredo, publicado na PLOS genetics porque utilizou mais de 18000 participantes dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Europa, é portanto, o primeiro estudo  feito em grande escala, a análise genética da população do estudo permitiu concluir que a ingestão de carne processada aumenta o risco de cancro num terço da população que carrega a variante genética estudada. 
Exemplo de algumas carnes processadas

É dos tumores mais fatais no nosso país e tem aumentando devido ao estilo de vida actual, e hábitos alimentares cada vez mais afastados da dieta mediterrânica. 
Como esta doença é multifactorial, não é só o consumo destas carnes ou carregar a variante genética que nos vai fazer desenvolver o tumor. Os hábitos alimentares, consumo de frutas, vegetais, fibras, actividade física, hábitos tabágicos são situações que podemos mudar de forma a prevenir este cancro.  

A prevenção continua a ser a arma mais eficaz para combater este tipo de doença oncológica, e aqui ficam algumas dicas:

1- Trocar o pão branco, massa, arroz, por integral, por ser mais rico em fibras.
2- Ingerir 5 porções (400g) de frutas e legumes por dia (p.ex. 3 peças de fruta + 1 prato de sopa + 1 salada ou 1 chávena almoçadeira de legumes).
3- Reduzir o consumo de carnes ricas em gordura e carnes processadas (salames, presunto, fiambre, salsichas...)
4- Beber água de acordo com o peso e actividade física (2 litros de uma forma geral).
5- Aumentar a actividade física e ter em atenção as calorias que se ingerem.